Instalando Oracle Database 12c em Silent Mode (Sem interface Gráfica)

Nem sempre iremos trabalhar em ambientes onde há disponível uma interface gráfica. Dessa forma, a instalação “Next, Next, Next” do OUI não é possível.

Felizmente, podemos realizar a instalação utilizando o Oracle Universal Installer (OUI) em silent mode. Isto é, sem a utilização da interface gráfica.

Nosso ambiente está em uma Máquina Virtual VirtualBox, com CentOS 7 Minimal instalado. Essa distribuição pode ser obtida aqui e se trata de uma instalação mínima, somente com os recursos necessários para se iniciar o Sistema Operacional. Dessa forma, qualquer pacote adicional que necessitamos deverá ser instalado separadamente, utilizando YUM.

Como se trata de um ambiente “zero”, iniciaremos preparando o ambiente para receber a instalação do Oracle.

Preparando a VM para compartilhar arquivos com a máquina host.

Como estamos utilizando uma Máquina Virtual criada utiliando o VirtualBox, precisamos instalar as ferramentas adicionais para que o compartilhamento de arquivos entre a máquina host e a máquina virtual seja habilitado.

O VirtualBox Guest Additions depende dos pacotes gcc, kernel-devel e make. Abaixo, os passos para instalação desses pacotes:

Instalando o VirtualBox Guest Additions.

No Oracle VirtualBox, Clique em Dispositivos -> Instalar Guest Additions.

Se não for possível, faça download do Guest Additions manualmente e insira a imagem em sua controladora de Discos.

Para dowload manual do Guest Additions, acesse o link http://download.virtualbox.org/virtualbox/, navegue até a pasta correspondente à sua versão do VirtualBox, e faça download do arquivo VBoxGuestAdditions_<version>.iso. No meu caso, VBoxGuestAdditions_5.1.14.iso.

Para adicionar o disco em sua controladora de Discos, no Menu Configuração, aba Armazenamento, Selecione o disco da Controladora IDE e abra o arquivo VBoxGuestAdditions_5.1.14.iso.

Monte o disco que acabou de inserir, faça a instalação do pacote necessário e, finalmente, instale o pacote de Funções adicionais.

Desligue a máquina virtual

No painel do VirtualBox, selecione a máquina virtual e clique em Configurações e navegue até Pastas Compartilhadas.

Adicione um novo compartilhamento.

Inicie novamente a máquina virtual e verifique se a pasta foi adicionada.

Preparando o ambiente para instalação do Oracle Database 12c.

Faça o Download do instalador do Oracle 12c e o salve na pasta compartilhada com a máquina virtual.

Instalação Oracle 12c – Pré Requisitos.

Uma nota importante: Mantenha a documentação ao seu lado sempre que for realizar a instalação.

Configuração do arquivo hosts.

É altamente recomendável que o nome do servidor esteja no /etc/hosts.

Por exemplo:

Instalação dos pacotes de Sistema Operacional necessários.

Na sessão de Pré Requisitos de Sistema do Database Installation Guide, identificamos os pacotes necessários à instalação do Oracle 12cR1:

Observação: Como estamos utilizando a versão 7 do CentOS, instalamos os mesmos pacotes referentes ao Red Hat 7.

binutils-2.23.52.0.1-12.el7.x86_64
compat-libcap1-1.10-3.el7.x86_64
compat-libstdc++-33-3.2.3-71.el7.i686
compat-libstdc++-33-3.2.3-71.el7.x86_64
gcc-4.8.2-3.el7.x86_64
gcc-c++-4.8.2-3.el7.x86_64
glibc-2.17-36.el7.i686
glibc-2.17-36.el7.x86_64
glibc-devel-2.17-36.el7.i686
glibc-devel-2.17-36.el7.x86_64
ksh
libaio-0.3.109-9.el7.i686
libaio-0.3.109-9.el7.x86_64
libaio-devel-0.3.109-9.el7.i686
libaio-devel-0.3.109-9.el7.x86_64
libgcc-4.8.2-3.el7.i686
libgcc-4.8.2-3.el7.x86_64
libstdc++-4.8.2-3.el7.i686
libstdc++-4.8.2-3.el7.x86_64
libstdc++-devel-4.8.2-3.el7.i686
libstdc++-devel-4.8.2-3.el7.x86_64
libXi-1.7.2-1.el7.i686
libXi-1.7.2-1.el7.x86_64
libXtst-1.2.2-1.el7.i686
libXtst-1.2.2-1.el7.x86_64
make-3.82-19.el7.x86_64
sysstat-10.1.5-1.el7.x86_64

Para instalar todos os pacotes necessários de uma só vez:

Verifique se todos os pacotes foram instalados e correspondem à versão mínima necessária.

Criação dos grupos e usuários de sistema operacional.

Nem sempre o DBA será a única figura administrando o ambiente, e diversas atribuições como backup, operações, administração dos discos (asm) podem ser atribuídas a pessoas diferentes.

Por este motivo, as permissões dos diversos arquivos do software são atribuídas a grupos de Sistema Operacional Diferentes. Assim, podemos criar usuários de sistema operacional individuais e associá-los aos grupos desejados baseados em suas funções.

Se quiser mais informações sobre os grupos e suas funções, veja aqui.

Criação dos grupos de sistema operacional.

A administração do ambiente oracle pode ser diferenciada através dos grupos de sistema operacional. Cada grupo possui permissões específicas para realizar algumas atividades.

Neste exemplo, utilizaremos apenas 2 grupos, e atribuiriemos todas as permissões a eles: oinstall e dba.

Criação do usuário de sistema operacional.

O oracle também nos permite instalar produtos diferentes em diferentes owners no sistema operacional.

Por exemplo, podemos instalar o software de Banco de Dados Oracle no owner (usuário) oracle, e o software Grid Infrastructure (não coberto neste texto) no owner grid.

O primeiro comando cria o usuário oracle, atribui como seu grupo principal oinstall e o torna membro do grupo DBA.

Assim que criado, o diretório home do usuário oracle é criado em /home/oracle. Este é o diretório padrão. Poderíamos atribuir qualquer diretório como home para o usuário oracle, bastaria criarmos o diretório préviamente e informar utilizando a opção -d (useradd -d /qualquer/diretório…)

O segundo comando cria uma senha para o usuário oracle.

Criando o diretório base da instalação do Oracle (ORACLE_BASE).

Também necessitamos criar o diretório base de onde o software será criado. Todos os subdiretórios serão/devem ser criados abaixo deste.

O usuário oracle precisa ser o ‘dono’ desse diretório e ter permissão de escrita/leitura em todos os sub-diretórios abaixo deste.

Como root, crie o seguinte diretórios e sete as permissões necessárias:

Descompactando os arquivos de instalação.

Faça a cópia dos pacotes de instalação para um diretório local, altere o owner dos arquivos para o usuário oracle e descompacte os pacotes de instalação.

Criação do arquivo de resposta – Response File.

Como já dito, o Oracle Universal Installer permite a instalação sem a utilização de ferramenta gráfica. Para tanto, basta informarmos ao instalador todas as opções de instalação que seriam informadas na UI.

A melhor forma de se fazer isso, é com o arquivo de resposta.

Criamos um arquivo de texto com todas as opções da instalação e informamos a localização deste arquivo para o instalador através da opção -responseFile.

Existe um template do response file incluído nos arquivos da instalação, no diretório response do arquivo extraído, chamado db_install.rsp.

Abaixo o arquivo de resposta que sendo utilizado, com as opções mais básicas para uma instalação standalone do Oracle EE:

Verificando se todos os pré-requisitos foram atendidos utilizando o instalador.

Para garantir que todos os pré-requisitos foram atendidos, podemos utilizar a opção -executePrereqs do instalador.

Percebemos que falhamos na maioria dos parâmetros de Kernel. Propositalmente, claro 🙂

Bem, vamos corrigi-los.

Configuração dos Parâmetros de Kernel.

Na documentação encontramos os valores mínimos para os parâmetros de kernel:

semmsl 250
semmns 32000
semopm 100
semmni 128
shmmax (50% da memória fisica em bytes)
shmall (50% do tamanho da memória fisica em páginas)
shmmni 4096
panic_on_oops 1
file-max 6815744
aio-max-nr 1048576
ip_local_port_range (Minimum: 9000 Maximum: 65500)
rmem_default 262144
rmem_max 4194304
wmem_default 262144
wmem_max 1048576

Verifique os valores corrente dos parâmetros de kernel:

Calculando os valores de SHMMAX e SHMALL

O sistema sendo utilizado neste é exercício é uma Máquina virtual com 1Gb de RAM.

Dessa forma, podemos calcular o tamanho de SHMMAX (50% da memória física em bytes) da seguinte forma: (Total de Memória RAM em Bytes) / 2

Exemplo: 1 * 1024 * 1024 * 1024 / 2 = 536870912

O tamanho mínimo de SHMALL é definido como 50% do total de memória física EM PÁGINAS.

O valor default do tamanho de página no CentOS (e na maioria dos sistemas operacionais linux) é 4K (4096 bytes).

Se quiser confirmar:

Assim, calculamos nosso SHMALL da seguinte forma: (Total de Memória RAM em Bytes / 2 / 4096)

Exemplo: 536870912 / 4096 = 131072

Modificando os parâmetros de kernel.

Como root, usando qualquer editor de texto, criamos ou editamos o arquivo /etc/sysctl.conf e adicionamos ou editamos as seguintes linhas:

Os valores especificados no /etc/sysctl.conf irão persistir assim que o sistema for reiniciado.

Configuração dos limites de shell para o usuário oracle.

Na documentação encontramos os valores mínimos para os limites por usuário:

nofile Soft: 1024
nofile Hard: 65536
nproc Soft: 2047
nproc Hard: 16384
stack Soft: 10240
stack Hard: Entre 10240 e 32768

Verifique os valores corrente dos parâmetros de limite de shell:

Modificando os parâmetros de limite do usuário oracle.

Como root, usando qualquer editor de texto, criamos ou editamos o arquivo /etc/security/limits.conf e adicionamos ou editamos as seguintes linhas:

Reinicie o sistema para que os parâmetros de kernel e limite do usuário sejam alterados.

Execute novamente o runInstaller e confirme que todos os pre requisitos mandatórios foram atendidos.

Note que alguns parâmetros podem ser ignorados. Como essa é uma instalação laboratorial, optaremos por ignorar alguns parâmetros não mandatórios.

Instalando o Oracle Database R12

Como oracle, vamos executar o instalador, passando o parâmetros -silent, informando que não desejamos utilizar a Interface Gráfica; o parâmetro -responseFile, identificando o arquivo de resposta que contém os parâmetros de instalação; e o parâmetro -ignoreSysPrereqs, informando ao instalador que vamos ignorar os parâmetros marcados como IGNORABLE.

Ao final, o instalador exibirá a seguinte mensagem:

Abra uma nova sessão como root e execute os scripts informados pelo log.

Importante: Os scripts não devem ser executados em paralelo. Roda um depois o outro na ordem correta.

Acompanhe a execução do último script:

Com isso, concluímos a instalação do software Oracle Database 12c.

Executando um teste rápido para garantirmos que o software foi instalado

Clique aqui e acesse o artigo sobre a criação de um banco de dados utilizando DBCA.

 

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *